Comer leguminosas regularmente diminui o risco de diabetes tipo 2.

Comer leguminosas regularmente diminui o risco de diabetes tipo 2.
9 de junho de 2017
texture of various types of pulses

Crédito da foto: Getty images

Por Abykeyla Mellisse Tosatti/para Nutrociência

O clã das leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico) barra o risco de diabetes em 35%

Um estudo publicado na revista científica Clinical Nutrition, constatou que os participantes que consumiram ​​três porções de leguminosas por semana tiveram 35% menos probabilidade de desenvolver diabetes em comparação com aqueles que não consumiram o alimento.

Os autores recrutaram 3.349 voluntários, do estudo Prevenção com Dieta Mediterrânea (PREDIMED) – na Espanha –, com alto risco de doença cardiovascular, mas sem diabetes tipo 2 no início do estudo. Os participantes foram divididos em dois grupos: o de baixo e o de alto consumo de leguminosas (feijão, ervilha, lentilha e grão-de-bico), que são ricos em vitaminas do complexo B, fibras, proteínas, minerais (cálcio, potássio e magnésio), antioxidantes e de baixo índice glicêmico. Após quatro anos, Becerra-Tomás  e sua equipe constataram que os participantes que consumiram mais leguminosas tinham um risco 35% menor de desenvolver diabetes do tipo 2.

“O consumo frequente de leguminosas, em particular a lentilha, no contexto de uma dieta mediterrânea, pode proporcionar benefícios na prevenção de diabetes de tipo 2 em adultos com alto risco cardiovascular”, concluem os autores.

Becerra-Tomás N et al. “Legume consumption is inversely associated with type 2 diabetes incidence in adults: a prospective assessment from the PREDIMED study”. Clinical Nutrition (2017).

Postado em Saúde e Nutrição por Aby Tosatti | Tags: ,