Ingestão de fibra alimentar em relação ao risco de doença renal crônica

Ingestão de fibra alimentar em relação ao risco de doença renal crônica
5 de fevereiro de 2018
High Angle View Of Fruits And Vegetables On Table

Crédito da foto: Getty images

Por Abykeyla Mellisse Tosatti/para Nutrociência

Um estudo prospectivo de base populacional publicado pelo British Journal of Nutrition, em janeiro de 2018, mostrou que para cada 5g/dia a mais no consumo de fibra alimentar, há uma redução de 11% no risco de doença renal crônica (DRC). Após ajuste de acordo com cada variável -  idade, sexo, tabagismo, ingestão total de energia, atividade física, diabetes e utilização de inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA), os autores avaliaram a associação entre o consumo total de fibra alimentar – proveniente das frutas, legumes, cereais e leguminosas -  com o risco de doença renal crônica incidente em 1630 indivíduos inicialmente sem DRC. “Podemos observar associações inversas entre a ingestão total de fibras e o risco de DRC, que demonstram que a ingestão elevada de fibras, principalmente de legumes e vegetais, pode reduzir a ocorrência de DRC” ressaltam os autores. A recomendação diária de fibras na alimentação é de 20 a 25g.

Referência:
Mirmiran P, Yusbashian E, Asghari G, Sarverzadeh S, Azizi F. Dietary fibre intake in relation to the risk of incident chronic kidney disease. Br J Nutr. 2018 Jan 21:1-7.

 

Postado em Saúde e Nutrição por Aby Tosatti | Tags: