Mais de 3 décadas pra lá de nutritivas!

Mais de 3 décadas pra lá de nutritivas!
30 de setembro de 2015

kids-school-setEm agosto passado, encerramos um périplo por diversas cidades brasileiras. Vitaminas, sais minerais e outros nutrientes marcaram presença na nossa agenda de viagem. Além de investigar o assunto, proferimos palestras e foi uma feliz surpresa perceber que centenas de pediatras e outros profissionais estavam muito entusiasmados com o tema.

A mesma vibração que até hoje nos move e que conheci lá atrás, na década de 1970, quando comecei a me envolver com estudos sobre micronutrientes e oligoelementos. Tive a oportunidade de trabalhar com grandes mestres, caso dos professores Steckel, Uauy, Castillo, Vega e Schlesinger e sou grato por todo o ensinamento e pela troca de experiências.

 Em 1979 passei uma temporada no INTA (Instituto de Nutrición y Tecnología de los Alimentos) da Universidade do Chile pesquisando o papel dos sais minerais e das vitaminas no crescimento, no desenvolvimento e nos aspectos cognitivos, com destaque para o ferro na memória e no aprendizado. O zinco também entrou na pauta. Além de estudar sua atuação na maturidade sexual, nosso grupo analisou o elo entre as deficiências desse mineral e alterações de inteligência.

Nos idos de 1980, aqui no Brasil, continuei as pesquisas sobre os mecanismos envolvidos na absorção de minerais e vitaminas. Vale salientar que professoras como Silvia Cozzolino, Célia Colli e Sophia Szarfarc sempre foram grandes parceiras nessa caminhada.

Verificar tanto aquilo que favorece como o que atrapalha o aproveitamento de micronutrientes é essencial para ajudar a combater problemas como a anemia, um dos males que acomete a criançada brasileira desde o início dos meus estudos e tem se estendido até os dias de hoje.

Já nos anos 2000, nos dedicamos ao estudo Nutri-Brasil Infância. Junto de profissionais espalhados por diversas universidades, avaliamos a alimentação de mais de 3 mil brasileirinhos de 2 a 5 anos do Oiapoque ao Chuí. Pudemos observar a carência de nutrientes fundamentais para essa fase da vida, entre os quais as vitaminas A, C, D e E, além de minerais como o cálcio, o cobre, o ferro e o zinco.

Esses achados têm muito a ver com a falta de vegetais e de pescados no cardápio infantil. Daí a importância de estimular desde cedo o consumo de hortaliças e frutas. Aliás, a sugestão é explorar a enorme diversidade que encontramos nas diferentes regiões brasileiras e que pude conhecer ao longo dessas viagens. Dispomos de frutos riquíssimos e que são pouco conhecidos. E o que dizer da nossa costa? Ela é fonte de peixes saborosos e nutritivos.

Então, que tal incrementar o prato da molecada com alimentos típicos do nosso país? Essa atitude é bem-vinda para combater a monotonia na dieta e, o que é mais importante, sanar as deficiências de vitaminas, sais minerais e outras substâncias indispensáveis!

Com a palavra, Dr. Mauro Fisberg
Postado em Com a palavra Dr. Mauro por Aby Tosatti | Tags: