Papinha do bebê: como conservar?

Papinha do bebê: como conservar?
7 de janeiro de 2016

Se você não consegue preparar as refeições do seu filho na hora, calma. Existem alternativas, que ensinamos a seguir

Criança comendo no cadeirão (Foto: Thinkstock)

Nada melhor do que comer uma refeição fresquinha, que acabou de ser preparada. Mas, atualmente, com a rotina atribulada das mães, nem sempre isso é possível. A correria fica ainda mais evidente na hora de preparar a comida dos bebês, que requer uma logística de variedade e pequenas porções. A boa notícia é que o congelamento conserva a maior parte dos nutrientes, além de ter a vantagem de evitar desperdícios, já que é possível dividir os alimentos nas quantidades a serem consumidas rapidamente, impedindo a proliferação de bactérias que os estragam.

Para dispor desses benefícios, no entanto, é necessário recorrer a algumas técnicas de preparo e armazenamento. A primeira dica da nutricionista Priscila Maximino, do Centro de Dificuldades Alimentares do Instituto PENSI do Hospital Infantil Sabará (SP), é prestar atenção na quantidade que o bebê está acostumado a ingerir, para acertar na distribuição.

Tenha em mente, também, que as bactérias se proliferam em uma temperatura de 6 a 30 graus, por isso, alimentos descongelados devem ser consumidos o mais rápido possível. As porções podem ficar seguramente no freezer pelo período de um mês. Para descongelar, o ideal é deixá-las na geladeira por uma média de 12 horas. Porém, se há pressa em oferecer a refeição, é possível guardá-la em potinhos de vidro -- de preferência, etiquetados para não haver confusão -- e descongelá-la em banho-maria ou no micro-ondas.

Além da segurança, uma das preocupações ao congelar alimentos é manter a textura e o sabor. Um bom método para manter a consistência dos legumes é o branqueamento. Trata-se de mergulhá-los, por dois ou três minutos, em água fervente e transferí-los, em seguida, a um pote com gelo. Por causa do choque térmico, é bloqueada a ação de enzimas que leva ao amadurecimento e envelhecimento do legume, além de matar micro-organismos presentes em sua superfície.

Outra possiblidade, para alimentos que contêm muita água, como batatas, é prepará-los em formas de purê e creme, para que mantenham uma textura agradável. Já em relação ao sabor, o conselho é temperar as refeições novamente depois de descongelar.


Matéria publicada no site da CRESCER - Por Juliana Malacarne - atualizada em 06/01/2016 15h13